Ainda sobre o famigerado horário de verão

Zé Gui na formatura
José Guilherme Chauí Berlinck na colação de grau de 2007

Bom, eu não entendo muito de cronobiologia, mas não sou fã do horário de verão, principalmente quando eu estudava pela manhã. Como não sou nada especialista na área, perguntei a um ex-professor de fisiologia (o Zé Gui) sobre o assunto e ele disse o seguinte:

“Os problemas que o deputado coloca são reais e ligados à mudança do ciclo. Não sei se o exemplo da viagem ao Paraguai é bom pois é justamente o problema do jet-lag que está envolvido na história …”

Não sei dizer se os prejuízos são significativos quando balanceados com a economia de energia… se as dores de cabeça, irritação, queda de inumidade acontecessem comigo, eu diria que sim.

Horário de Verão e a Economia de Energia

Respondendo ao Post “Horario de Verão e Danos à Saúde” da Danielle Toste

Essa parte é da Amanda, mas eu vou dar meu pitado do que eu acho!

Existe uma coisa que chamamos de Ciclo circadiano, que grosseiramente falando é nosso ciclo biológico. É aquela fome na hora do almoço, o sono lá pelas 10 da noite, etc… Ela é controlada pela luz, através de uma substância chamada melatonina!

Qual a diferença entre o horário de verão e uma viagem até o Paraguai (1 horas a menos)? É que na viagem ao Paraguai, o ciclo de luz é o mesmo que você está acostumado, só que com 1 hora de diferença do que você está acostumado*. Você VAI continuar comendo ao sol do meio dia, só que o “sol do meio dia” acontecerá 1 hora depois do que você está acostumado! No final das contas, seu corpo acaba acertando esse “atrado” no sol do meio dia!

No horário de verão acontece uma mudança bem diferente! Seu corpo está acostumado a comer no Sol do meio dia, mas ele vai começar a comer no sol das 11 da manhã! Isso para o corpo é péssimo! Mas nada que você não possa se acostumar

* redundancia proposital para facilitar o entendimento 🙂

Agora a minha parte relacionado a tecnologia:

A grande vantagem não é a economia que ela gera, mas sim o desafogamento do consumo de energia.

Em dias normais acontece uma coisa que chamamos de “pico de energia”. As empresas normalmente estão trabalhando a todo vapor das 8 da manhã as 20 da noite! Só que milhões de pessoas saem de seus trabalhos e voltam para casa, ligam TV, tomam banho, etc, etc, etc.

O resultado é que entre as 18 e 20 horas milhões de pessoas utilizam energia ao mesmo tempo que as indústrias, e isso causa um pico de energia.

A vantagem do horário de verão é que as pessoas voltam para suas casas e não acendem as luzes, ou vão para outros lugares como praia, barzinho, restaurante, parques. Isso dá uma ótima desafogada na distribuição de energia.

E também causa uma economia considerável. Algo como “consumo de uma cidade como Campinas”.

Minha opinião: Nas primeiras semanas é bem duro, mas eu prefiro COM horário de verão!

Ps: O Jornal Nacional no Acre em época de horário de verão no sudeste começa as 5:30 da tarde!

Horario de Verão e Danos à Saúde

Comentário Rápido:

Não achei nada de muito extraordinário em ler hoje a notícia da Agência Câmara sobre a análise de um projeto para acabar com o horário de verão.

Eu não faço a menor idéia sobre quão significativa é a economia feita por essa mudança durante o verão, mas o site diz que é algo entre 4% e 5%. Ainda assim, o que me surpreendeu foram os motivos do deputado que afirma que essa mudança pode causar prejuizos ao organismo, segundo ele:

As bruscas alterações de horário ocasionam distúrbios orgânicos no homem traduzidos pela ocorrência de fadiga, dores de cabeça, confusão de raciocínio, irritabilidade, constipação e queda da imunidade. Tal quadro é conhecido na medicina como síndrome de jet lag cuja conseqüência mais grave é a afetação hormonal que se manifesta principalmente em crianças e pessoas de idade mais avançada.

Além disso, ele também menciona o desconforto gerado pelo horario de verão por as pessoas terem que acordar mais cedo e a sensação de insegurança gerada nas pessoas que tem que sair para o trabalho enquanto ainda está escuro.

Daí eu pergunto aos meus colegas biólogos: Vocês acham que essa mudança de horário realmente pode causar prejuizos à saúde das pessoas? Caso sim, os prejuízos causados são significativos o bastante, especialmente se balanceados ao que essa economia de energia representa?

———–

Dados: O Projeto em questão é o PL 397/2007

Roubando sinal Wi-fi

Quando eu, a Amanda e a Danille nos reunimos para discutir se “roubo (furto) de sinal wi-fi era crime ou não” para o 1o episódio do Decodificando, a Amanda não falou, mas fez cara de “isso é coisa do outro mundo”!

2 meses depois fui instalar o roteador wi-fi da casa dela. O sinal do roteador estava fraquíssimo, então resolvi colocar a placa de rede wi-fi numa extensão USB e levantar ela para ver se melhorava o sinal!

Antena wi-fi para cima

Eis que não só melhora o sinal do roteador, como aparece mais 3 redes novas (uma já aparecia), sendo que uma delas estava totalmente ESCANCARADA!!!

WEP, WPA e ABERTA!

Ai a Amanda fez cara de “Eh… aquilo não era do outro mundo… “. Como ainda não tinha colocado a chave que eu coloquei no roteador, ele acabou entrando direto nessa rede sem segurança. Como segundo a Danielle isso é crime, tratei de desconectar rapidinho e conectar no roteador correto!

Fica a dica! Quando vocês compram um roteador wi-fi, só de conectar na tomada ele já sai funcionando!! Não se empolgue! Coloque uma chave de criptografia (WEP ou de preferência WPA – mais seguro porém mais lento). Assim se alguém quiser entrar na sua rede vai necessitar de um conhecimento um pouco maior. Além do que ele vai estar agindo de má fé!

Opa! Se quiser ouvir o episódio 1, é só dar play!! 🙂

Episódio 1 (MP3, 64 kbps, 22′00″, 10,07 MB)

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


Episódio 1 low (MP3, 16kbps, 22′00″, 2,51 MB)
Episódio 1 zip (MP3, 64 kbps, 22′00″, 9,95 MB)

Tributos, Impostos, IPVA e Probidade Moral

Em “pagando o IPVA do carro fora do Estado” o Jonny comentou sobre os problemas gerados aos Estados e Municípios em virtude do licenciamento de veículos em locais diferentes daqueles nos quais eles efetivamente vão transitar. Alguns pontos dos comentários que eu acho legal destacar são: A divisão do imposto, a obrigação de consertar os buracos e a questão de levar vantagem.

O IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) é um tributo, mais especificamente um imposto, e junto com com o ICMS e ITCD é de competência estadual. Se o imposto é de competência estadual, algumas pessoas podem se perguntar por que uma parcela desse imposto, que foi constitucionalmente destinado aos estados, é destinada aos municípios. Isso acontece porque a própria Constituição Federal, quando tratou da competência dos impostos para cada um dos entes federativos, também destinou uma seção à repartição das receitas tributárias, entre elas:

Art. 158. Pertencem aos Municípios:
III – cinqüenta por cento do produto da arrecadação do imposto do Estado sobre a propriedade de veículos automotores licenciados em seus territórios;

É claro que o motivo pelo qual o imposto é repartido não tem a menor relevância quanto à questão abordada pelo Jonny, mas isso foi só por curiosidade mesmo. Mas, continuando na história dos tributos, uma vez que o IPVA é um imposto ele não está vinculado a nenhuma contraprestação, isto é, nem o estado nem os municípios tem a obrigação de destinar o valor arrecadado no IPVA para nenhum fim específico. Se o IPVA não está vinculado a nenhuma finalidade, isso significa que essa arrecadação não precisa ser destinada para a manutenção das vias do município ou do estado.

Daí porque, na minha opinião, nenhuma desculpa, nem mesmo a da fraude, é justificativa para os buracos nas vias de transito. A obrigação do proprietário do veiculo de agir com probidade e de pagar seus impostos corretamente é uma, a obrigação do município e do estado de manterem as ruas em boas condições de tráfego é outra, não se trata de prestação e contraprestação, mas de duas obrigações distintas, sendo que o descumprimento de uma não justifica o não cumprimento da outra.

Ainda assim, fica sobrando a questão do “tirar vantagem”. Para mim isso é algo lamentável, independente de ocorrer com uma pessoa física qualquer ou com uma pessoa jurídica de grande porte. Na minha opinião, esse tipo de atitude vinda do povo mostra que o problema de corrupção do Brasil não está na política, ou no Estado, mas nas pessoas em geral, na nossa cultura. Isso me da impressão de que nós não temos “políticos corruptos” mas políticos que fazem parte do povo e, como tal, possuem a mesma cultura de “tirar vantagem”, a única diferença é que eles tem muito mais possibilidades e causam estragos maiores, mas daí a dizer que a política é que corrompe as pessoas é um pouco de falta de reconhecimento das nossas próprias fraquezas enquanto sociedade. Para mim, a política apenas amplifica um aspecto que já existia.

Tratamento genético contra HIV

Um novo tratamento contra a Aids começou a ser testado em humanos na Califórnia (EUA). A técnica consiste em modificar a informação genética dos linfócitos T auxiliares dos indivíduos soropositivos. Os linfócitos T auxiliares fazem parte do sistema imunológico e são as células infectadas pelo vírus HIV. Para que o vírus penetre nestas células, ele liga-se a proteínas de membrana. Já dentro da célula, o vírus passa a usar toda a maquinaria molecular dela para reproduzir-se e a célula começa a sintetizar proteínas virais. Os linfócitos T auxiliares são, então, reconhecidos como patógenos e destruídos por outras células do sistema imunológico, causando a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids).

Neste novo tratamento, o paciente receberá suas próprias células do sistema imunológico modificadas geneticamente. Os genes introduzidos farão com que as células reconheçam o HIV como uma ameaça e estimularão os mecanismos de defesa do indivíduo, prevenindo a duplicação da célula infectada. Técnicas semelhantes já tem sido utilizadas com sucesso no tratamento de doenças auto-imunes.

É importante salientar que não é a cura para a Aids, e sim uma tentativa de controlar o vírus ou reduzir sua presença para que os pacientes precisem de menos remédios. Não é a cura, mas pode ser o caminho…

Projeto prevê aumento de 1/3 para crime contra a honra pela internet

O projeto PLS 398/07, do senador Expedito Júnior (PR-RO) pretende aumentar as penas de crime contra a honra praticados na internet em 1/3.

Para acontecer a queixa, o responsável policial devera entrar na página e imprimir o conteúdo dela para utilizar como prova. Sem isso, nada poderá ser feito.

Agora eu fico imaginando a cena:

Internauta: Por favor. Tem um FDP que está me caluniando na internet!

Policial: Ok! Vamos averiguar. Deixa eu conectar o cabo do modem…

Internauta: Modem? Aqui vocês não tem banda larga?

Policial: Tinhamos, mas um hacker entrou e bagunçou nossa base de dados. Resolvemos tirar.

Internauta: Ok…

(10 min depois)

Policial: Bom, deixa eu trocar o cartucho da impressora! Escrivão! Pegue os cartuchos?

Escrivão: Só tem esses reciclados!

Policial: Qual o endereço?

Internauta: www.orkut.

Policial: Ixi… O Orkut ta bloqueado por aqui. O pessoal abusava um pouco! Aguarde mais um momento que vou pedir para o responsável desbloquear.

(10 minutos depois)

Policial: Ok… Entrando no orkut…

Internauta: É dentro desta comunidade…

Policial: Ixi… no Dunnuts for you! Poxa! justamente para nós policiais?


Internauta: tente de novo!!


Policial: Ok! é isso? Vou imprimir

(5 minutos depois)

Policial: Ixi!! a impressão saiu fraco e com as linhas borradas! justamente em cima do seu nome!!! Vou ter que imprimir de novo

Internauta: Ok! entre novamente

Policial: Eita! Cadê o nome da pessoa? É esse “Anônimo” coma  cara azulzinha?

Internauta: Acho que ele já apagou a conta do orkut…

Pagando IPVA do carro fora do Estado

Para quem não sabe, o IPVA é um imposto estadual cobrado todo começo do ano sobre cada automóvel do estado, e é um imposto BEM salgado. Só para se ter uma idéia, vou pegar como exemplo um modelo “popular” – um corsa 2006. O valor do IPVA para esse carro em São Paulo saiu R$843,92. Se optar por pagar a vista, você tem 3% de desconto.

IPVA em SP

50% desse IPVA vai para o Estado de registro, e os outros 50% vai para o município. Ou seja, indiretamente com esse dinheiro você acaba “ajudando” na manutenção das ruas da SUA cidade.

Dinheiro bem gasto

Só que segundo a “lei de Gerson” , tem pessoas que gostam de levar vantagem em tudo. Como cada Estado tem seu valor de IPVA e que obviamente São Paulo tem o IPVA mais caro do Brasil, algumas empresas preferem registrar sua frota em algum estado onde o IPVA é mais barato. E isso é totalmente prejudicial para o município onde o carro roda, afinal o dinheiro que entraria acaba indo para um município que ele nunca vai rodar.

Por que estou falando isso tudo?

Simples!!! Porque hoje passei na frente de um posto de gasolina que estava abastecendo a frota de uma prestadora de serviços da Telefônica.  Logo, se a Telefônica só tem em São Paulo (ou na Europa), esses carros só rodam em São Paulo. Logo, a placa deles deveriam ser do Estado de São Paulo, certo?

mas olhe de onde eram as placas

Placa de Tocantins

TO, Palmas!!!!

Um monte de carros

Só nessa foto (clique para ver em alta definição)  tem 10 carros! E eu vi sair mais uns 10!!!

Não sei se tem a ver com essa reportagem– a Operação Rosa Negra, que aconteceu em maio de 2007. Como em Tocantins eles publicaram uma lei isentando o 1o IPVA de toda frota, uma empresa começou a licenciar carros para empresas utilizando o mesmo endereço!

Convenhamos, mesmo que não tenha nada a ver, isso é muito ruim para a imagem da Telefônica, mesmo ela não tendo nada a ver com isso.

(fotos dos carros tiradas por mim! )

Colméias às moscas

Nos últimos anos, tem sido notado o desaparecimento de abelhas da espécie Apis melifera nos EUA, na Europa e até no Brasil. Será que o preço do mel vai aumentar daqui há algum tempo?

Muitos são os suspeitos pelo sumiço das abelhas, de radiação de celulares a pólen de cultivos transgênicos (em ambos os casos, sem base científica alguma). O mais provável é que doenças provocadas por ácaros e protozoários tenham acometido tais abelhas e, ainda, o uso de novos inseticidas usados na agricultura (por exemplo, fipronil, já proibído na França).

Mas além da produção de mel, as abelhas são muito importantes ecologicamente por serem polinizadoras de vários tipos de plantas. Inclusive, é comum o aluguel de colméias durante a floração. E parece-me um mercado bastante rentável. Há poucos anos o aluguel de cada colméia por mês era cerca de US$40,00… agora está na casa dos US$ 200,00. Quem diria que uns insetinhos pudessem valer tanto?

Episódio 5- Finep, ICMS, venda de sangue indígena, energia solar, etc

Pessoal!
Depois de dormir tarde e acordar cedo por causa do podcast, ai está!

Prometo que até o final de semana eu coloco os links e a minutagem!
Tive que correr com o podcast porque senão só postaria ele na segunda! E como o pessoal já estava me cobrando…

Abraços para todos!

Downloads:
Episódio 5 (MP3, 64 kbps, 34′30″, 16,61 MB)

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


Episódio 5 low (MP3, 16kbps, 34′30″, 4,15 MB)
Episódio 5 zip (ZIP, 64 kbps, 34′30″, 16,44 MB)

Críticas, elogios, sugestões, etc, etc, etc. Comentem 🙂

Next Page »