BlogCamp Paraná: impressões

Neste último fim de semana fui arrastada pelo Jonny para o BlogCamp realizado em Curitiba. Isso mesmo, a Amanda num evento sobre tecnologia….. hahahaha! Apesar da minha pouca afinidade com o tema, o evento foi bem interessante, afinal é sempre bom um intercâmbio de informações com outras áreas.

Além disso, tive a oportunidade de conhecer pessoas divertidíssimas, como Manoel Netto, Bia Kunze, Gustavo (ou Jorge), Carla do Brasil (ou Carol de Cascavel), Alexandre Sena, Ricardo Macari, Adriana Saito, com os quais gravamos um episódio do Podcast Código Livre. Acho que cumprimos com êxito nossa meta no BlogCamp, que era divulgar o Decodificando e o Infoblog do Jonny.

Uma grande diferença que eu percebi em relação aos congressos de biologia dos quais já participei foi o chamado “networking”. No BlogCamp, as pessoas queriam se conhecer, já nos congressos de biologia as panelinhas imperam, contato meramente profissional.

Café da manhã

Outra coisa: no BlogCamp, que foi totalmente gratuito, o coffee-break estava excelente (carolina de doce de leite….hummmmm), meus agradecimentos à organização. Agora nos congressos…. inscrições caríssimas, sendo que a moda é o water-break. Você bebe aguá lá naquele bebedouro esquecido num canto e só. Acho que isso tem a ver com o “networking”.

Gadgets ecologicamente corretos

Xeretando notícias na internet, vi uma reportagem que me chamou a atenção pelo “ecologicamente corretos”. Pensei… “Gadgets??? What the hell is that???” Fui procurar no meu dicionário, que diz o seguinte: gadget = equipamento eletrônico, em geral pequeno e moderno. “Ahhh, então vou postar no Decodificando!”

Fabricantes estão desenvolvendo aparelhos eletrônicos feitos com materiais menos agressivos à natureza ou que aproveitem a energia solar, como monitor de bambu e bateria híbrida para celulares e iPods (fotos abaixo). Será que vai virar moda?

Monitor de bambu Bateria híbrida

Fonte: http://idgnow.uol.com.br

PS: Acho totalmente desnecessário o uso de palavras em língua estrangeira sendo que existe equivalentes em português.

Episódio 6- Traduções do Harry Potter, Richarlyson, órgão vomeronasal, etc

GunBound

Demorou mais saiu! O Episódio 6 está bem abrangente, discutindo as notícias do mês.

00’01”- Armada tradutora traduz o último Harry Potter para português em 2 semanas
00’40”- Francês é preso por divulgar tradução do Harry Potter
02’00”- Filmes piratas contam o final do Harry Potter (no Meio Bit tem o vídeo)
03’30”- Caso Richarlyson
09’50”- Sexo está no nariz e não no cérebro
13’10”- Hormônio pode curar obesidade de origem genética
14’40”- Brasileiro é sequestrado por causa de pontos em jogo on line GunBound
17’30”- Discussão sobre roubo on line e vazamento da caixa preta (audio)
22’00”- Qual o nosso papel na segurança?
25’00”- TV nos ônibus – Bus TV

Downloads:
Episódio 6 (MP3, 64 kbps, 27′07″, 13,00 MB)

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


Episódio 6 low (MP3, 16kbps, 27′07″, 4,15 MB)
Episódio 6 zip (ZIP, 64 kbps, 27′07″, 12,80 MB)

Novidade: Se você não tem banda larga, pode ouvir o podcast diretamente do Navegador clicando aqui (versão low)

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Pesquisadores criam software que entende piadas

Saiu na Folha… Vale a pena dar uma lida aqui.

Muito interessante. Será que ele levará em consideração diferenças regionais e outras coisas do tipo? Se bem que esse seria o menor dos problemas!

Será que até o ano 2300 vão fazer algum capaz de entender uma ironia? Muitos seres humanos não são capaz de entender uma até hoje!

Você duvida??? Então leia esse post do Blog do Cardoso e depois leia os comentários!

Horário de Verão e a Economia de Energia

Respondendo ao Post “Horario de Verão e Danos à Saúde” da Danielle Toste

Essa parte é da Amanda, mas eu vou dar meu pitado do que eu acho!

Existe uma coisa que chamamos de Ciclo circadiano, que grosseiramente falando é nosso ciclo biológico. É aquela fome na hora do almoço, o sono lá pelas 10 da noite, etc… Ela é controlada pela luz, através de uma substância chamada melatonina!

Qual a diferença entre o horário de verão e uma viagem até o Paraguai (1 horas a menos)? É que na viagem ao Paraguai, o ciclo de luz é o mesmo que você está acostumado, só que com 1 hora de diferença do que você está acostumado*. Você VAI continuar comendo ao sol do meio dia, só que o “sol do meio dia” acontecerá 1 hora depois do que você está acostumado! No final das contas, seu corpo acaba acertando esse “atrado” no sol do meio dia!

No horário de verão acontece uma mudança bem diferente! Seu corpo está acostumado a comer no Sol do meio dia, mas ele vai começar a comer no sol das 11 da manhã! Isso para o corpo é péssimo! Mas nada que você não possa se acostumar

* redundancia proposital para facilitar o entendimento 🙂

Agora a minha parte relacionado a tecnologia:

A grande vantagem não é a economia que ela gera, mas sim o desafogamento do consumo de energia.

Em dias normais acontece uma coisa que chamamos de “pico de energia”. As empresas normalmente estão trabalhando a todo vapor das 8 da manhã as 20 da noite! Só que milhões de pessoas saem de seus trabalhos e voltam para casa, ligam TV, tomam banho, etc, etc, etc.

O resultado é que entre as 18 e 20 horas milhões de pessoas utilizam energia ao mesmo tempo que as indústrias, e isso causa um pico de energia.

A vantagem do horário de verão é que as pessoas voltam para suas casas e não acendem as luzes, ou vão para outros lugares como praia, barzinho, restaurante, parques. Isso dá uma ótima desafogada na distribuição de energia.

E também causa uma economia considerável. Algo como “consumo de uma cidade como Campinas”.

Minha opinião: Nas primeiras semanas é bem duro, mas eu prefiro COM horário de verão!

Ps: O Jornal Nacional no Acre em época de horário de verão no sudeste começa as 5:30 da tarde!

Software identifica carros irregulares em SP

Embora eu odeie a indústria de multas aqui de São Paulo (e principalmente do ABC), tenho que assumir que dessa vez o governo está tomando uma iniciativa interessante.

Já temos nas principais vias de São Paulo alguns radares que conseguem identificar as placas dos carros, e que são utilizados para verificar se o carro está burlando o rodízio (aqueles radares que ficam com uma luz forte acessa, como a da Av. Bandeirantes). Esta mesma tecnologia será utilizada para verificar se todos os documentos do carro estão ok, e o principal: se o veículo em questão é ou não roubado.

Obviamente, o ladrão já sabendo disso com certeza vai evitar de andar na avenida que contém o radar. Acho que a única solução é colocar um radar desses em todas as ruas que vão cair na Ricardo Jaffet, grande reduto de desmanches (alguns clandestinos).

Fonte: Plantão Info

Empresas Inglessas terão que recolher lixo eletrônico

Sempre na Inglaterra… Pelo menos é uma noticia boa!

As empresas de eletro-eletrônicos serão obrigadas a recolher o lixo tecnológico produzido por elas. Tvs, computadores, máquina de lavar roupas, etc estão na lista. Agora, que fim eles vão dar para os produtos eu não tenho a menor idéia!

Ontem meu amigo Sérgio falou que no Japão os consumidores não jogam mais eletrônicos na rua porque o lixo agora é pago.

Pelo menos aqui pilhas e baterias já são recolhidas pelos fabricantes. Falta só a população tomar consciência disso! Isso só vai pegar quando as pessoas ganhar $$ com isso, como acontece com o alumínio.

Fonte:  Infoexame – Inglaterra adota lei para reciclar e-waste

São Caetano e Diadema começam a utilizar radares frontais!

[Postado  originalmente no blog do Jonny]

Cegueira com Flash

Hoje a Lígia me mandou uma notícia que saiu no Diário do Grande ABC falando que nas cidades de São Caetano do Sul e Diadema estão instalando radares que pegam a placa dianteira do carro.

Os problemas legais já está sendo tratado na reportagem, mas eles esqueceram de uma coisa básica: Isso pode causar acidentes!

Para a câmera conseguir fotografar de noite, ela precisa de Flash. Quem já foi fotografado de noite em uma festa sabe como isso é extremamente ruim, porque nossas pupilas estão abertas no máximo para receber luz (por isso os olhos vermelhos nas fotos a noite).

Como o carro passa numa velocidade muito alta, o obturador da câmera tem que ser muito rápido. E para ele conseguir capturar alguma imagem, a luz refletida tem que ser muito forte. Ou seja: Flashs fortes!

Agora imagine você dirigindo a 60km por hora e recebe um flash desse na cara! Eu demoro uns 3 segundos para ter a visão normal novamente! Isso daria uns 17 metros andando as cegas!

Como os radares hoje em dia fotografam a parte traseira, você não recebe essa luz diretamente nos olhos, então não tem problema.

O que esse pessoal não faz para arrecadar $$$$$.

Ps: tudo isso sobre o flash são suposições. Mas não pretendo fazer o teste na rua com o meu carro!

Ainda sobre o milho transgênico

Como vocês viram nos posts da Dani e do Jonny, uma liminar proibiu a comercialização do milho transgênico no Brasil. É o dinamismo do mundo moderno!

A decisão foi tomada mediante à alegação de que as medidas de biossegurança devem ser explicitadas com antecedência, o que não foi o caso. A preocupação é que esteja garantida a coexistência do milho “natural” e aquele geneticamente modificado.

Mas, uma pesquisa recente deve colocar mais lenha na fogueira! Em maio, foi publicado pela Archives of Environmental Contamination and Toxicology (uma das vantagens de se estudar/trabalhar numa universidade como a USP é o acesso ao conteúdo de revistas científicas internacionais através da rede) um estudo relatando danos físicos em ratos (um dos poucos estudos com mamíferos) alimentados com milho transgênico da Monsanto Company (MON863). Entre os danos estão dimunuição do crescimento, toxicidade hepato-renal e aumento nos níveis de triglicerídeos nas fêmeas. Vixiiiiiiiii, será que estava enganada ao acreditar que não existem riscos para a saúde humana? Não sei… estudos vindouros poderão esclarecer. Aliás, neste estudo os autores salientam a necessidade de experimentos em longo prazo para investigar a natureza e real extensão das patologias. Entretanto, eles não afirmam que o milho é seguro.

É Dani, acho que até o episódio 20 muita coisa vai acontecer…

Visitantes, por favor, comentem!!!

Liminar sobre Milho Transgênico

Como o Jonny falou recebemos a pouco a notícia de que já haviam bloqueado a a venda do milho transgênico.

Minha primeira preocupação foi procurar as informações oficiais e o acompanhamento do processo. Isso não foi nem um pouco difícil, no site da Justiça Federal da 4ª Região (Paraná), na pagina de entrada a primeira noticia de hoje era: “Informações sobre decisão referente à liberação do milho transgênico”. Na propria notícia, além das informações, consta o número do processo para consulta (2007.70.00.015712-8).

Pesquisando o processo (no próprio site, em consulta processual unificada), tem o acompanhamento e da para acessar a integra do despacho da Juiza Pepita Durski Tramontini Mazini, pedindo que a União se manifeste sobre a liminar contra o milho transgênico, e como precaução, determina que a CTNBio não autorize nenhum pedido de comercialização de milho transgênico até que a liminar seja apreciada.

Conforme consta no acompanhamento, a ação foi proposta por quatro ONGS, mas não consegui nenhuma informação que deixa claro exatamente o que está sendo pedido à Advocacia Geral da União (AGU), mas encontrei o seguinte:

A pedido de quatro ONGs, protocolado na tarde da última sexta-feira, a juíza do Paraná determinou a intimação da Advocacia-Geral da União (AGU) para apresentar, no prazo de 72 horas, os argumentos em favor da liberação comercial tomada pela CTNBio. “A decisão da CTNBio é ilegal porque as medidas de biossegurança devem ser explicitadas com antecedência, o que não ocorreu”, diz a advogada Maria Rita Reis, que representa a Terra de Direitos, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), a ASPTA e a Associação Nacional de Pequenos Agricultores (ANPA). “Eles liberaram sem normas de monitoramento e coexistência”. – FONTE: Agência CT

Ja a notícia do site da Justiça Federal do Paraná, explica que a parte autora (as ONGS) quer que:

a) suspenda os efeitos da autorização de liberação comercial do milho geneticamente modificado denominado Liberty Link, constante do Parecer Técnico nº 987/2007, proferida pela CTNBio nos autos do processo administrativo nº 12000.005154/1998-36; b) determine à CTNBio que se abstenha de autorizar qualquer pedido de liberação comercial de milho transgênico até que sejam criadas as normas técnicas de liberação comercial de OGM, em obediência à legislação vigente; e até que se proceda preliminarmente à elaboração de medidas de biossegurança que garantam a coexistência das variedades orgânicas, convencionais ou ecológicas com as variedades transgênicas, ante à ilegalidade de se determinar tais medidas posteriormente à decisão técnica de liberação comercial. – FONTE: Justiça Federal do Paraná

Conclusão: Quando a gente achava que a discução tinha acabado, e finalmente estava tudo certo quanto à questão do milho transgênico, aparece um monte de gente para estender o debate mais um pouco (Inclusive o MST). Quem sabe conseguimos esclarecer definitivamente essa questão antes do episódio 20 do nosso PodCast.

Next Page »